quarta-feira, 27 de março de 2013

Ídolos

    Você está longe, e quando eu penso nisso fico um pouco triste. Porque não sei se algum dia vou poder te tocar, vou poder dizer tudo o que eu sinto pessoalmente, mas mesmo assim eu não desisto. Sabe o que eu faço para afastar a tristeza e a saudade? Eu vejo milhares de fotos sua que eu tenho, ouço suas composições, vejo seus filmes preferidos... Essa é apenas uma forma de me manter perto de ti. Porque eu sei que amor de fã nunca acaba, e enquanto eu não te vejo, eu escrevo, para aliviar um pouco da saudade e da vontade de te abraçar. Amo seu jeito, seus gostos, sua risada, suas composições e, principalmente, o amor que tem pelo seu trabalho. Eu te amo!

 emagrecer rapido  Você pode não me conhecer, pode não saber dos meus sentimentos, mas parece que suas músicas são feitas especialmente para mim. Você tem o poder de colocar os sentimentos em músicas, em fazer com que seus fãs saibam se expressar por meio das suas canções. Mesmo sem nunca ter falado com você, eu sei todos os seus gostos, seus medos, sua cor preferida e posso ver seu coração por meio das composições. É por cada letra, por cada entrevista, pelo seu amor para com os fãs que eu te amo cada dia mais. Meu ídolo! emagrecer rapido





Eu sempre via as pessoas colocando fotos dos seus artistas no álbum e fazendo textos inacabáveis, intermináveis, e sempre achei a maior bobagem, porque eu pensava “eles não sabem que você existe de certo modo” e enfim, eu achava besteira, palhaçada até. Mas é porque eu não sentia o que eles sentiam, esse amor todo, eu nunca tive um amor assim por um artista, não dessa forma, dessa medida. É amor demais, é tanto amor mas tanto que não cabe, não se explica, não se entende. Até que apareceu você e me fez sentir tudo isso, a ponto de ter que colocar um pouco pra fora em público para não me sufocar tanto. Eu não suporto procurar vídeos, mas desde então é o que eu faço, procuro vídeos de você, procuro acompanhar o que você faz, seus projetos, seus passos, aonde você vai, o que você vai fazer, o que você fez, o que você está fazendo, com quem você anda, enfim, é loucura eu sei, mas se não fosse loucura não seria amor. emagrecer rapido



É tão estranho amar alguém no qual nós nunca tocamos, abraçamos, conhecemos ou ao menos sentimos a presença da pessoa fisicamente. É doloroso, amarmos alguém que mal sabe a nossa existência e mesmo assim essa pessoa nos faz bem. Sua voz me acalma e ao mesmo tempo me anima. E mesmo tão distante de mim, eu sinto a sua presença. Você me faz sorrir quando minha vontade é chorar, mas também, me faz chorar quando minha vontade é sorrir. Mas é choro de emoção, choro de felicidade. Lágrimas de alegria, felicidade, por ver seu sonho se tornar realidade. De saber que você está bem, feliz, se sentindo realizado. E isso serve como inspiração pra mim, para que eu nunca deixe de acreditar nos meus sonhos, para que eu veja que nada, absolutamente nada é impossível, basta eu não deixar de acreditar. Eu não me importo com o que dizem, ou com quem duvidam do meu amor por você, eu não me importo com mais nada além da sua felicidade, que se torna também, a minha. Muito obrigada por você existir,obrigada por ser quem você é. Eu desejo que você seja muito, mais, muito feliz mesmo. Que todos os seus sonhos se realizam e que você nunca, mas nunca mesmo mude por algo ou alguém. Que ninguém faça com que você sofra. 

Eu te amo de uma forma irracional, eu queria que você soubesse disso, queria com todas as minhas forças, mas possivelmente isso não irá acontecer tão cedo ou talvez nunca. Mas eu não ligo, pelo menos aqui no fundo eu sempre vou saber o quanto te amo. emagrecer rapido


Beijos e abraços,Bruna


domingo, 24 de março de 2013

Sobre amor não correspondido e ser feliz


Amor não correspondido é uma coisa engraçada e idiota que acontece principalmente com as mulheres, com uma pessoa que você convive bastante. Se divide basicamente em 3 partes. 

A primeira é quando você percebe que aquela pessoa que está na mesa do lado é bem interessante. Bonita, gente boa é perfeita pra você. Mas falta muita coragem pra chegar no ser em questão. Droga, por que somos tão tímidas?

A segunda etapa é a do relacionamento imaginário. Sim, isso existe. Você se imagina namorando aquela pessoa, conhecendo os pais dele, jantando juntos... E fica (muito) brava se ele não fala com você, se ele não te convida pro churrasco na casa dele ou até mesmo pra fazer algum trabalho em dupla. Como ele consegue ser tão idiota a ponto de achar que aquela metida é melhor que você? Você é muito mais linda, inteligente e simpática do que essa vaca. Mas não importa, afinal ele é tão fofo... Iiiiiih, pensou assim? CORRA! Você está apaixonada. Ui! Doeu? Mas é verdade. Temos um problemão, amiga. Você precisa sair dessa antes que seja tarde demais.



A última parte marca o fim do relacionamento. Você não consegue inventar mais diálogos, sua criatividade e sua paciência esgotaram. Ele está saindo com aquela piranha, não está nem aí pra você. Está na hora de acabar com esse "namoro". Deu de esperar todos os dias por um "oi" dele, deu de se arrumar pra uma pessoa que nem te nota. Chega mesmo. Acabou. Game over. Então, você decide ter mais amor próprio, se arrumar pra você mesma, levantar a auto-estima. Não ser tão melodramática. Quer um conselho? Não pense mais nele. Nem no quanto você o despreza. Pense em como você é linda, por dentro e por fora. E que alguém vai te amar assim algum dia. 
Vai chegar em um ponto que vão falar o nome dele perto de você e seu coração não vai mais sair pela boca, seu estômago não vai mais revirar. Você está curada. Amor não correspondido? Não quero nem de graça! Prefiro sair com minhas amigas e pensar em como o chocolate está caro esse ano. Afinal, não é preciso ter um namorado, real ou imaginário, para ser feliz. Basta se amar. 

Mariana Hallal.
quinta-feira, 14 de março de 2013

Crônica: À Distância, de Paula Pimenta

Hey! Eu estava navegando por aí e me deparei com essa crônica linda da Paula Pimenta e resolvi compartilhá-la com vocês. Ela também está no livro Apaixonada Por Palavras.

Quem nunca namorou de longe, não vai conseguir entender metade do que eu vou escrever nessa crônica, porque só quem já passou por essa experiência sabe o quanto ela é difícil. Mesmo assim vou tentar explicar, para todas as vezes que vocês se depararem com alguém reclamando da ausência do namorado, não começarem com as manjadas frases que não fazem nada pela pessoa solitária: “Ah, mas pelo menos quando vocês se encontram tudo é festa, nem tem tempo pra brigar.” Ou: “O tempo está passando rapidinho, logo o próximo feriado chega.” Ou ainda: “É bom que no período que ele está longe você pode curtir com os amigos.”


Só quem namora à distância sabe o quanto essas frases são mentirosas. O tempo não está passando rapidinho, pode até passar pra quem está com o namorado do lado, podendo ir com ele ao cinema em plena quarta-feira, mas pra quem conta cada dia para o próximo encontro, o tempo custa a passar. Chega o Natal, mas não chega o fim-de-semana. E quando finalmente ele chega, aí sim, o tempo voa. E lá vamos nós, voltar para a contagem regressiva até a próxima vez.

Quem namora (não só à distância) sabe que sair com os amigos quando se tem namorado não é nem de longe tão divertido quanto sair com os amigos na condição de solteira. Primeiro, porque os amigos se dividem em dois grupos: solteiros e casais. Os solteiros geralmente saem para paquerar. E os casais não querem saber de vela (a não ser que sejam outros casais). Ou seja: quem namora e não tem o namorado por perto é um pária da sociedade, um excluído. Eu, por exemplo, não gosto de segurar vela. E nem acho graça (e nem acho lícito) paquerar outras pessoas. Acabo então, na maioria das vezes, indo só ao cinema, onde não têm apenas casais e a paquera não é obrigatória, mas isso acaba agravando a saudade, porque cinema é o lugar onde namorado mais faz falta, seja pra dividir a pipoca, os beijos ou as opiniões depois que o filme terminar.

Só quem tem que namorar pelo telefone sabe que essa história de ter menos brigas por causa da distância é pura ilusão de quem nunca passou por essa situação. A quilometragem que separa um casal é diretamente proporcional à quantidade de ciúme. Você, toda bem intencionada, confia no seu namorado, acredita que ele está lá tomando um choppinho com os amigos e sentindo tanto a sua falta quando você está dele. Até que chega a sua amiga e te diz que ele, com certeza, está na gandaia, que é pra você abrir o olho. Vem o cara que te paquera no barzinho (naquela tentativa que você fez de sair com a amiga solteira) e te pergunta – quando você diz pra ele cair fora porque é comprometida – se você sabe o que o seu namorado está fazendo naquele minuto. Chega o seu amigo que já passou por essa situação e manda você fazer marcação cerrada, porque homem é tudo igual e quando bebe esquece do estado-civil. É difícil, depois desse bombardeio, a confiança ficar intacta, ainda mais se você telefona pra provar que todo mundo está enganado e o celular dele cai na caixa-postal... Acabamos gastando o precioso tempo dos encontros discutindo a relação enquanto poderíamos estar repondo o tempo perdido.

Quem passa a maioria dos dias longe do namorado sabe como é chata a condição de se ter que ir embora bem na melhor parte. Porque é assim: depois de separados por um período, não é a mesma coisa se encontrar como se vocês tivessem se visto na noite anterior. O reconhecimento demanda um tempo. Você estranha a pessoa um pouco. Vários pensamentos vêm à cabeça: “Que blusa nova é essa?”, “Da última vez ele não estava de cavanhaque.”, “Quem são esses amigos que eu não conheço?”, “Que gíria diferente é essa que ele aprendeu a usar?” Coisinhas bobas, que quem convive no dia-a-dia não tem que passar, pois sabe de quem ele pegou a gíria, acompanhou o crescimento do cavanhaque, ajudou ele a comprar a blusa, viu ele fazer a nova amizade. Você demora um tempinho, mas acaba se acostumando e até gostando das novidades. Então, bem nesse momento, você olha o calendário e vê que já vai embora amanhã. No próximo encontro outras novidades terão tomado lugar dessas que você já conhece e lá vai você passar por outra adaptação.

Só quem namora à distância sabe o quanto é difícil uma despedida. Ele pode viajar por apenas três dias. Se vocês estivessem na mesma cidade, poderia ser até que nem se encontrassem nesse período, mas pelo menos vocês tinham a certeza de estar ali, a poucos minutos de distância. Mas basta que ele feche a mala que o seu coração se fecha também... é que os momentos passados juntos são tão valiosos que dá medo se separar. Medo do avião, do ônibus, da estrada, do destino.

Quem passa a maioria dos dias sem o namorado perto sabe como é fria a cama na segunda-feira posterior a um fim de semana passado juntos. Dá uma tristeza sem fim olhar para o lado e deparar com aquele espaço imenso que ele deixou. Só resta abraçar o bicho de pelúcia que ele te deu e sonhar com o próximo encontro, torcendo para que ele venha logo e dure mais.

Só quem namora assim, de longe, sabe que mesmo com todas essas dificuldades, o amor compensa. Porque quando o namorado chega, o mundo fica mais colorido. Os poucos momentos são tão intensos que se estocam na memória, nos abastecendo até a próxima dose. E só quem namora desse jeito sabe o quanto é bom ter a esperança de que um dia aquela distância encurtará de vez e os encontros não terão prazo, necessidade e nem vontade de acabar...


domingo, 10 de março de 2013

Mousse de brigadeiro


Hey meninas! Quanto tempo, né? Esses dias eu estava louca por um brigadeiro e, quando fui fazer, vi que não tinha leite condensado em casa e já era muito tarde pra sair pra comprar. Então, procurei receitas de brigadeiro sem leite condensado e resolvi fazer. Mas, quando ficou pronto, não virou um brigadeiro e sim um mousse de brigadeiro. Ficou tão gostoso que resolvi compartilhar com vocês. Se liga nos ingredientes:

- 1 copo de leite
- 2 colheres de sopa de margarina
- 3 colheres de sopa de açúcar
- 4 colheres de sopa de achocolatado em pó
- 1 colher de sopa (bem cheia) de amido de milho (Maizena)


Misture todos os ingrediente, exceto o amido de milho, e coloque em uma panela em fogo baixo por vinte minutos. Dissolva o amido com um pouco de água e adicione à mistura aos poucos, com a ajuda de um coador. Depois de pronto, coloque o mousse na geladeira até que esfrie um pouco. Pronto! Se quiser, enfeite com chocolate granulado.
Dica: Se você não quiser que fique muito doce, coloque apenas 2 colheres de açúcar. 

Beijos, Mariana

Seguidores

Qual sua idade?

Categorias

Visualizações